O livro “A Máquina da Inovação” apresenta conceitos e contextualiza a palavra inovação. Atualmente é uma necessidade crescente que empresas e pessoas estejam sempre inovando em busca da diferenciação. Não basta apenas querer ser diferente, é preciso sair da zona de conforto a fim de buscar uma solução para um problema que as vezes nem se sabe qual é. Inovação está relacionada à mudanças e à evolução, e como diz o autor Charles Bezerra, desde o início dos tempos o mundo está evoluindo, se modificando e sempre inovando de maneira inesperada.

Pensando sobre a evolução, eu acredito que desde que nascemos somos pressionados a nos diferenciar. Os pais ficam orgulhosos e exibidos quando o filho começa a caminhar ou a falar antes que a maioria das crianças de mesma idade. Durante a infância, as crianças de classe média/alta participam de aulas de linguás, esportes, artes e diversos cursos para encontrarem uma paixão, se dedicarem e terem uma formação e/ou conhecimento à mais do que o exigido pelas escolas. Quando crescem e entram no mercado de trabalho, a responsabilidade aumenta e com ela, a pressão para se diferenciar dos concorrentes e conseguir o melhor cargo. Durante toda a vida passamos por comparações onde constantemente escolhem alguém pior ou melhor, um vencedor e um perdedor, de acordo com a potencialidade de cada um. No mercado de trabalho uma das ferramentas mais importantes para continuar competindo é a capacidade de inovar e ultrapassar as barreiras do conhecido, do comum, das soluções esperadas.

O método apresentado por Bezerra para inovar me chamou atenção por ter etapas muito similares às da metodologia de Bruno Munari, com uma extensa parte de pesquisa, análise, testes, para só depois de entender muito bem o contexto, propor uma solução. E ele também avisa que a solução da inovação não será necessariamente uma resposta absoluta mas uma hipótese, de onde podem surgir outras pesquisas e ideias. Essa parte do texto foi a que mais me chamou atenção pois pode ser aplicada a diversos meios, podemos levar o método de fazer muita pesquisa e planejamento para solucionar diversos problemas do dia a dia. O autor propõe que é preciso saber qual o momento certo de agir pois a inovação acontece quando equilibramos planejamento e ação.

Outra questão interessante, é a ‘dúvida’. Muitos escritores e filósofos já afirmaram que quanto mais duvidamos, mais esperto ficamos pois julgando e criticando podemos chegar à conclusões e eliminar o erro. Um projeto só é bem concebido quando podemos explicá-lo de maneira simples, através de um conceito. Quando não conseguimos responder à perguntas sobre um trabalho, certamente houve uma falha no projeto. ‘A Máquina da Inovação’ é um livro que traz bastante reflexões importantes não só para quem trabalha na área de comunicação e tecnologia, mas todas as pessoas que querem aperfeiçoar seus métodos de trabalho.

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *