Timothy William Burton nasceu na cidade de Burbank, na Califórnia no dia 25 de agosto de 1958. Com doze anos foi morar com a sua avó, aos dezesseis começou a trabalhar em um restaurante e pagar o aluguel de um apartamento. Assim como muitos adolescentes, Burton tinha uma área de interesse na qual se destacava, o desenho. Era um ótimo aluno nas aulas de arte da escola, tendo ganho alguns concursos de arte para cartazes.

Sua maior diversão quando adolescente, além de desenhar, era assistir a filmes de terror, principalmente os que tinham a atuação de Vincent Price. Disse que nunca teve medo de filmes de terror, sempre os adorou, os monstros eram como se fossem seus contos de fadas. Os filmes eram a sua forma de libertação, pois com eles podia imaginar muitas coisas diferentes e ir além do que a história contava, ao invés de simplesmente aceitar as coisas como elas eram. 

“Vincent Price era alguém com quem eu me identificava. Quando você é jovem as coisas parecem maiores, você encontra a sua própria mitologia, você encontra o que conecta você psicologicamente. E aqueles filmes, somente a poesia deles, e esses personagens que passam sobre muitos tormentos (em sua maioria, imaginados) falavam comigo de uma maneira que Gary Cooper ou John Wayne devem ter feito o mesmo com alguma outra pessoa…eu sentia que a maioria dos monstros tinham a alma muito mais sincera do que os personagens humanos ao redor”.

Além de Vincent Price, Tim Burton também tinha como ídolo, outro mestre do terror, Edgar Allan Poe.  Um escritor gótico, o qual utiliza como principal tema, a morte. Seus contos são macabros e nada convencionais, pura poesia e excentricidade. Muitos dos filmes de Vincent Price foram feitos a partir de obras do escritor, alguns deles são: “O Solar Maldito” (1960), “O Poço e o Pêndulo” (1961), “O Corvo” (1963), “O Castelo Assombrado” (1963) e “O Túmulo Sinistro” (1969). 

Em 1976 Burton ganhou uma bolsa de estudos da Disney para estudar no California Institute of the Art. Especializou-se em animação e quando completou o curso em 1979, foi chamado para trabalhar na empresa como aprendiz de animador. Ele estava envolvido no projeto da animação ‘O Cão e a Raposa’ e disse que foi o pior ano da sua vida. Não havia nenhuma liberdade de criação, tinha que ficar desenhando sempre a mesma coisa, produzindo um estilo de desenho que não era o estilo dele, mas era o que a Disney queria.

“O que é estranho sobre a Disney é que eles querem que você seja um artista, mas ao mesmo tempo, eles querem que você seja um trabalhador da fábrica de zumbis e não tenha personalidade”.

Claramente ele estava desiludido com o seu trabalho e pensando em sair, porém a sua situação mudou. Como nunca havia parado de desenhar no seu sketchbook, a empresa reconheceu que seu talento estava sendo desperdiçado, e então ele passou a ser Concept Artist de personagens (quem cria o conceito de personagens e cenário, desenhando esboços, uma experimentação de idéias) tendo mais liberdade criativa. Em 1982 foi-lhe dada a oportunidade de realizar o curta-metragem ‘Vincent’, o qual surgiu a partir de um conto de Edgar Allan Poe, e foi inspirado no seu grande ídolo, o ator Vincent Price

O segundo curta realizado pelo cineasta, ‘Frankeweenie’ (1984), despertou a atenção do grande escritor Stephen King, o qual indicou Burton à Bonni Lee (executivo da Warner Brothers), que falou dele para Paul Reubens (escritor e ator), o qual achou Burton perfeito para participar de ‘As Grandes Aventuras de Pee Wee’ (1985). Três anos depois o diretor se destacou com o sucesso de ‘Os Fantasmas se divertem’(1988) e foi chamado para dirigir a super-produção ‘Batman’ (1989).

Tim Burton, Vincent Price e Johhny Depp em ‘Edward mãos de tesoura’

Como ‘Batman’ também foi um sucesso, Tim Burton conseguiu credibilidade e financiamento para realizar um projeto pessoal, e então escreveu, produziu e dirigiu o filme ‘Edward Mãos de Tesoura’ (1990). Foi a primeira vez que teve total controle criativo sobre um filme e começou a ser considerado um verdadeiro artista do cinema. Também foi com ‘Edward Mãos de Tesoura’ que o ator Johnny Depp se destacou e começou a ser reconhecido mundialmente. A parceria entre o ator e o diretor permanece até hoje: Depp já participou de 9 dos 18 filmes de longa metragem dirigidos por Burton.

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr

1 Comment on Como Tim Burton se tornou um famoso cineasta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *