Estou tentando consumir de forma mais consciente, e com isso passei a prestar mais atenção na lista de ingredientes, tanto de alimentos como de cosméticos. No geral, parece que ela é feita para não ser entendida, nos cosméticos os nomes de ingredientes quase sempre estão em inglês, com nomenclatura científica e em um tamanho de letra minúsculo.

Procurando a diferença entre os hidratantes corporais que possuo, em uma breve pesquisa encontrei alguns ingredientes em comum: o óleo mineral, a parafina líquida, o petrolato e o polietilenoglicolPesquisando sobre eles cheguei à conclusão que quero evitar esses ingredientes, principalmente quando estiverem entre os primeiros da lista, pois isso quer dizer que são os principais componentes do produto.

hidratantecorporal

 

Mineral Oil / Paraffinum Liquidum

São ingredientes incolores e inodores derivados da destilação do petróleo para produção da gasolina. Muito encontrados em hidratantes, maquiagens, óleos corporais, máscaras capilares, entre outros.

São usados pela indústria cosmética por serem muito baratos  e possuírem propriedade lubrificante, assim acontece a falsa sensação de pele hidratada, mas na verdade o ingrediente não possui nenhuma substância hidratante ou nutritiva. O uso contínuo do produto é prejudicial, pois ele não se dissolve na água e impede que os nutrientes penetrem na pele. Além disso também pode entupir os poros causando espinhas e envelhecimento precoce.

O Programa Nacional de Toxicologia dos Estados Unidos fez um estudo em pessoas que comprovou que o uso de óleos minerais pode ser cancerígeno, principalmente quando inalado em produtos de aerosol. Confira os estudos aqui e aqui.

 

Petrolatum

Também é chamado de geleia de petróleo. É usado em shampoos, condicionadores, cremes de barbear, maquiagens, hidratantes, entre outros. Uma das marcas mais conhecidas do produto é a Vaselina.

O ingrediente cria uma barreira entre a pele e a superfície, dificultando a perda de água do corpo e protegendo temporariamente a pele machucada, queimada ou ressecada.

A União Européia classificou o Petrolato como cancerígeno e lá seu uso tem restrição nos cosméticos. Estudos já compravam que o uso contínuo é perigoso para a pele, confira aqui.

 

PEGs (polyethylene glycols)

Derivado do petróleo e usado como emoliente, emulsificador e solvente. É encontrado em tônicos faciais, óleos de banho, cremes, maquiagem, creme dental, shampoo, desodorante, sabonete, cera de depilação, entre outros.

Um de seus efeitos é aumentar a permeabilidade da pele para que as substâncias sejam absorvidas. Na lista de ingredientes, vem acompanhados de números que indicam o peso da substância, quanto menor for, mas facilmente o produto será absorvido pela pele.

O  PEG não possui restrições de uso nem malefícios cientificamente comprovados mas a preocupação se deve ao fato de que podem ser contaminados com outras substâncias consideradas tóxicas e cancerígenas como o óxido de etileno, dioxano, arsênico, cádmio, níquel e cobalto. Confira os estudos aqui e aqui.

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *