Não dá pra ir até a África do Sul e não fazer um safári, né?! Esse era o passeio mais esperado da viagem. O safári mais famoso da África do Sul fica no Parque Nacional Kruger, só que pra chegar até lá teríamos que pegar um vôo de aproximadamente 4 horas, da Cidade do Cabo para Joanesburgo. Então pesquisamos outras opções e optamos em ir no Inverdoorn, um dos lugares privados que existem próximo à Cidade do Cabo que fazem esse tipo de aventura, eles se denominam Game Reserve (Reserva de Jogo).

Reservamos o nosso passeio um mês antes de ir, e quando chegamos na Cidade do Cabo combinamos com uma companhia de táxi para nos levarem e depois nos buscarem no dia seguinte. O caminho é longo, duas horas e meia de viagem, saímos de manhã e chegamos no Inverdoorn no início da tarde, fizemos um ótimo almoço ao lado de uma bela piscina e conseguimos descansar um pouco antes do primeiro safári.

O Inverdoorn possui diversas atividades, escolhemos fazer um safári no fim do dia ao pôr do sol, dormir lá, e fazer outro sáfari no início da manhã durante o nascer do sol. Vale a pena fazer os dois pois eles são diferentes, cada safári teve entre uma hora e meia a duas horas de duração, além da vista mudar por causa do sol, também vimos animais diferentes em cada dia.

O passeio é feito com um jipe que comporta umas 20 pessoas. A savana é muito grande e os animais vivem soltos então não tem como saber onde está cada espécie, o carro segue por um trilha a procura dos animais, ele só pode andar na trilha delimitada para não matar a pouca vegetação que serve como alimento para os animais. 

Infelizmente os animais não conseguem viver a penas com o que a natureza lhes oferece, por isso diariamente funcionários do Inverdoorn deixam alimentos em alguns locais. Os leões e leoas ficam em uma área isolada, eles foram resgatados e nunca aprenderam a caçar. Esse é um dos trabalhos da Reserva, reinserir na natureza alguns animais que estavam sendo mantidos ilegalmente

Ao fim do primeiro safári, fomos recepcionados com uma fogueira e petiscos, mas estávamos tão cansados que não ficamos muito tempo ali e fomos logo para o salão do jantar. A refeição foi muito completa, com dois pratos de entrada, um prato principal que poderia ser peixe ou carne, e sobremesa. 

O dia seguinte começou muito cedo, e estava muito frio!! Ainda bem que o guia levou alguns cobertores para nos ajudar, além do cobertor eu estava com casaco de nylon, touca de lã, luvas, e um pouco de sono hahaha. O ideal é não usar roupas muito coloridas para não chamar atenção dos animais. 

A paisagem estava linda demais, o sol da manhã favoreceu muito. No segundo dia fomos procurar animais que ainda não tínhamos visto. Normalmente o desafio proposto no safári é ver os 5 mamíferos selvagens de grande porte que são difíceis de ser caçados pelo homem: leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte. Fiquei triste por não ter conseguido ver muito bem os elefantes, só haviam 3 e eles estavam muito longe da estrada. Os outros 4, conseguimos ver muito bem.

O búfalo foi um animal que deu pra ver bem de perto, assim como a girafa. A tática do motorista era primeiro parar um pouco longe dos animais, e devagar se aproximar ao lado. Depois de uns minutos, pode ser que o animal se sinta à vontade para se aproximar do carro. Nós nunca saímos do carro estando próximos aos animais, pode ser perigoso.  

Minha expectativa era que tivesse muitos animais, como em rei leão, mas na realidade tem algumas espécies que estão sumindo (como os elefantes que são constantemente caçados e mortos por causa do marfim). Mesmo assim o passeio valeu muito a pena pois nos divertimos muito e tivemos um contato com a natureza muito raro. O pacote com os dois sáfaris, hospedagem, almoço, café da tarde, janta, café da manhã custou em torno de R$ 700,00 por pessoa. Na hora de reservar tivemos que dar o número do cartão de crédito mas o pagamento só foi efetuado quando fizemos o check-out. No caminho de volta ainda tivemos a sorte de ver babuínos na estrada.

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr

2 Comments on Safári na África do Sul!

    • Olá Pérside, custou 2.000 rands cada trecho. Não sei informar qual foi a empresa, pois quem nos ajudou com a reserva do táxi foi o proprietário da casa que alugamos pelo booking. O próprio Inverdoorn oferece esse serviço de transfer, acabamos não optando por contratar esse serviço com eles porque achamos que conseguiríamos alguma negociação mais barata, no fim saiu quase a mesma coisa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *